exercícios de imaginação pública
2016

para o projeto
Provocar/Convocar Urbanos: inquietações sobre a cidade
Sesc Vila Mariana, São Paulo, 20.03 – 31.07.2016


Em constante processo de transformação, as cidades criam sempre novos termos e novas configurações, com e para além dos planos, conspirações, políticas públicas, ativismos, conceitos, discursos e intervenções. Em várias cidades no planeta, percebemos jogos de forças e lógicas opostas em curso: a crescente e predominante privatização e controle dos espaços urbanos e das formas de vida, especulação imobiliária que constrói sociedades cada vez mais apartadas em condomínios fechados, em contraposição a espaços porosos, movimentos políticos-sociais-culturais, redes de pessoas e organizações que tem inventado diferentes modos de viver e de fazer, que ocupam e (re)significam os espaços das cidades com novos usos e contra-usos.

A concepção do “direito à cidade” desenvolvido pelo sociólogo Henri Lefebvre em 1968, como um direito de não exclusão da sociedade das qualidades e benefícios da vida urbana, está novamente em pauta, por cidadãos que querem e reivindicam participar da construção coletiva de suas cidades. Soma-se o conceito de urban commons [“comum urbano”] que tem reemergido em debates, discursos e ações, ativando o poder de colaboração e cooperação social. Como ressalta o geógrafo David Harvey em “A liberdade da cidade”, “a implicação é que nós, individual e coletivamente, fazemos nossa cidade por meio de nossas ações diárias e de nossos engajamentos políticos, intelectuais e econômicos. Todos somos, de um jeito ou de outro, arquitetos de nossos futuros urbanos”[1].

Porém, quais narrativas e ações cotidianas estamos construindo e/ou automaticamente replicando? Quais ferramentas e práticas, decisões e posturas, dão conta da criação coletiva de espaços urbanos comuns? “Comum urbano” que gere condições para que as pessoas utilizem, cuidem e produzam os recursos da cidade, fora de demandas do mercado e rompendo com mecanismos de apropriação privada de bens públicos de uso comum. Neste contexto, as práticas artísticas se apresentam como ferramentas potentes capazes de nos provocar e convocar para refletirmos sobre nossas ações e escolhas cotidianas, pessoais e coletivas, a “desprogramarmos” certos preceitos e preconceitos, e abrirmos pra outros exercícios de imaginação pública, coletiva, do comum, na invenção de nossos presentes e futuros, narrativas e experiências possíveis.

O projeto Provocar/Convocar Urbanos: inquietações sobre a cidade, elaborado de modo colaborativo pela equipe do Sesc Vila Mariana – com trabalhos artísticos, reflexões e atividades –amplia essas conversas e ações com os moradores, transeuntes e diversos atores do bairro e da cidade. Investiga quais são os espaços, as medidas, os vocabulários e as ferramentas capazes de instaurar diálogos, considerando conflitos e diferenças, e as ambiguidades entre a institucionalização de processos e a imprevisibilidade e potências da vida urbana.

[1] HARVEY, David. “A liberdade da cidade”, tradução de Gavin Adams, in Cidades rebeldes: Passe livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil / Ermínia Maricato... [et al.] – 1. Ed. – São Paulo: Boitempo Editorial e Carta Maior, 2013.


Provocar Urbanos
Sesc Vila Mariana

A exposição Provocar Urbanos: Inquietações Sobre a Cidade propõe reflexões e ações sobre o direito pleno à cidade, considerando as dimensões individuais, sociais e políticas ao problematizar as potencialidades e desafios do espaço urbano.

Composta por nove instalações criadas por artistas e coletivos contemporâneos, a exposição propõe dialogar com o público sobre as complexas configurações da vida na metrópole, expressando de forma crítica e poética elementos naturais e sociais que estão dialeticamente envolvidos nessa equação.

Dividida em eixos, as discussões levantadas pelo conjunto de obras tangenciam temáticas como a mobilidade, a sustentabilidade, a questão hídrica e a ocupação de espaços públicos e privados.

Com curadoria da equipe do Sesc Vila Mariana, a coletiva conta com obras de Ángela León, Coletivo Basurama, Erica Ferrari + Maurício Adinolfi, Graziela Kunsch, Guilherme Teixeira, Jarbas Lopes, Marcelo Cidade, Rodrigo Bueno e Vinicius S.A..


Convocar Urbanos – Programação
Programação integrada à exposição Provocar Urbanos: Inquietações sobre a Cidade, que propõe reflexões e ações sobre o direito pleno à cidade. Direito à água, à moradia, à mobilidade e, especialmente, ao de repensar a cidade, considerando a convivência entre cidadãos, formas e funções, por meio das provocações ensejadas pelas obras e ações propostas.


http://ligianobre.org/files/gimgs/th-114_IMG_0620.jpg
http://ligianobre.org/files/gimgs/th-114_IMG_0619.jpg
http://ligianobre.org/files/gimgs/th-114_IMG_0618.jpg