arquivo exo experimental org.
2013

originalmente publicado no Catálogo Conexões Artes Visuais MinC/ Funarte/ Petrobras 2012

O arquivo exo reúne os projetos, as residências artísticas e os eventos realizados por/com a exo experimental org., que é uma plataforma de investigação de práticas estéticas contemporâneas relacionadas ao contexto sociopolítico brasileiro entre 2002 e 2007, tendo a metrópole de São Paulo como epicentro. Com uma infraestrutura mínima e flexível, articulou-se em rede com diversos agentes e diversas organizações brasileiras e internacionais para colaborações de médio e longo prazos, criando um espaço de encontro e troca de conhecimentos e experiências entre o artista, o urbanista, o pesquisador e outros.

O site arquivoexo.org contribui para a reflexão crítica de iniciativas autônomas similares no Brasil e fomenta a pesquisa e o diálogo ao convidar novos colaboradores a atualizarem questões dos projetos da exo, na interseção entre agenciamentos e práticas artísticas, vozes e memórias.

Marcio Harum focou no programa de residência artística no edifício Copan, entre 2003 e 2006. Foram quase trinta artistas e autores de diversos países com uma perspectiva urbanística e o estímulo a pesquisas de campo. Para Harum, “além da exo ter fundado novos lugares de pensamento e novas formas de investigação em contato e ao redor do espectro de atividades desenvolvidas a partir de seu endereço físico, fez gerar visibilidade a manifestações; e a outros circuitos possíveis, que ecoam sem dúvida, até o presente momento.”

As ações da exo foram geradas a partir do Copan, projeto do arquiteto Oscar Niemeyer, edifício ícone de São Paulo por sua presença pujante na paisagem e na revolução nos modos de morar. Diego Matos propõe “tecer uma rede de relações possíveis que permanecem soltas, entre uma herança histórica de nossa produção cultural e a retomada de um pensamento experimental” a partir da congruência entre o projeto São Paulo S.A. – práticas estéticas, sociais e políticas em debate (2002-2007) e a exposição Da próxima vez eu fazia tudo diferente (2012) de sua curadoria. Realizada no mesmo lugar do Copan, seu título provém do filme Documentário de Sganzerla, apontando para um permanente recomeço.

Com a obra O quarto da Vanda, do cineasta Pedro Costa, na exposição A respeito de SITUAÇÕES REAIS (Paço das Artes, SP, 2003) sobre práticas documentárias, produzida pela exo, Raquel Garbelotti reflete sobre o que ela nomeia filme instalado – “a passagem de uma produção fílmica para a instalativa” –, considerando suas especificidades. Pedro Costa transita entre o documentário e a ficção, sobre a condição de construir outras narrativas, reverberando diretamente na situação atual no Brasil. O País e São Paulo mudaram muito na última década e os protestos de 2013 – com produções de subjetividades novas – somente vêm a reforçar o momento de inflexão histórica em que estamos vivendo, desestabilizando nossas referências e nossos parâmetros para pensar e atuar na cidade.

Catalisadas pelo projeto África Mundos – resistências contemporâneas (2004), em torno do dissidente social e político nigeriano, criador do afrobeat Fela Anikulapo Kuti, Marta Mestre indaga sobre outras formas de narração da África para além dos lugares comuns e do desconhecimento, e “lança três ideias-chave para futuros desdobramentos do projeto exo, tendo em conta sua natureza de rede virtual – arquivo aberto, criticismo e espaço público”. E provoca – “cabe aqui questionar de que forma [as culturas africanas, afrodescendentes e diásporas] inscrevem um tipo de ‘urbanismo’ que pode ser lido no tecido social e cultural da sociedade, engajando os cidadãos na construção coletiva da alteridade e da diferença?”

A elaboração do arquivo exo, em diálogo estreito entre as editoras, com distanciamento ativo para eleger o que tem relevância pública, e as interlocuções com os ensaístas convidados, desdobra novos questionamentos sobre quais práticas artísticas e agenciamentos são desejáveis no Brasil hoje. A que arquivos e imaginários nos remetemos? Em que pontos estamos permanentemente recomeçando?

Links

arquivo exo (plataformas)

Versão do texto in Catálogo Conexões Artes Visuais - MinC/ Funarte/ Petrobras 2012 (Julho 2013, pp. 44-51)

ISSU (http://issuu.com/conexaoartesvisuais/docs/catalogo_conexao_4)

Download pdf
http://www.funarte.gov.br/conexaoartesvisuais/wp-content/uploads/2013/10/Cat%C3%A1logo_Conex%C3%A3o_Site.pdf